Não quero presentes, quero mais mulheres no mercado de seguros!

Por Danielle Lima, Head de Pessoas e Cultura na Flix

Flores, presentes, chocolates e mensagens de parabéns pelo Dia da Mulher. Todo ano, o mesmo cenário que estereotipa os nossos gostos e ideias de recompensas que supostamente queremos. Eu, por exemplo, até gosto de tudo isso, mas não quero mais esse tipo de comportamento nesta data pois apenas reforça lugares nos quais nós, mulheres, não queremos mais ocupar no imaginário coletivo da sociedade. 

A notícia que eu mais gostaria de dar, neste dia, é que as mulheres estão ocupando não apenas mais lugares nas diversas esferas das empresas, mas principalmente, mais cadeiras de tomada de decisão. E que as vozes femininas têm o mesmo espaço nas discussões, sem interrupções e preconceitos. Aí, sim, eu diria que teríamos de fato um motivo para comemorar e falar de conquistas.

Isso é algo urgente também no nosso mercado de seguros, que não foge à regra quando o assunto é falta de inclusão e equidade de gênero nas lideranças das empresas.

Um levantamento recente da Mckinsey Study identificou que as companhias que contam com mais mulheres na liderança, quando comparado com a média da indústria, apresentam resultados operacionais 48% maiores e faturamento 70% maior. 

Em 2019, a ENS (Escola de Negócios e Seguros) divulgou outra pesquisa sobre o nosso setor, revelando que a presença feminina corresponde a 55% da mão de obra do setor segurador.

Isso até faz sentido quando olhamos posições que não são de gestão, sei que já é uma evolução , mas ainda temos um longo caminho a percorrer porque, infelizmente, na liderança os homens ainda são a esmagadora maioria. Trazer outras mulheres para a mesa faria uma enorme diferença quanto à representatividade, força, diversidade de pensamentos, estratégias, pois os cérebros masculinos e femininos funcionam de forma diferente, as empresas só têm a ganhar!

É por isso que eu fico muito feliz de realizar, na Flix, um trabalho importante e necessário de inclusão das mulheres no mercado de seguros, principalmente em áreas essencialmente dominadas por homens.

Assim como todas as Techs, temos muita dificuldade em encontrar desenvolvedoras. Para driblar possíveis barreiras, procuramos grupos que concentram e formam o público feminino na área de tecnologia para divulgação das nossas vagas e estreitar possíveis parcerias.  

Aqui, sinto que temos verdadeiramente mais espaço para explorar e crescer com a atuação feminina. Nossa liderança por enquanto é predominantemente masculina e estamos focadas em  preencher mais cadeiras com mulheres. Além de mim, que sou Head de Pessoas e Cultura, temos a Patrícia Martins que chegou recentemente para ser a nossa Head Técnica, um cargo muito estratégico para manter a sustentabilidade do nosso negócio. 

Quanto mais estratégico e decisivo for o nosso papel nas empresas, mais resultados e impactos positivos se terá na performance de qualquer negócio. 

Precisamos, urgente, trazer para as altas lideranças no setor de seguros mais diversidade. Além de presentes, queremos e teremos mais equidade, igualdade e voz ativa nas empresas!

Sobre a autora:
Danielle Lima, Head de Pessoas e Cultura, passou por grandes seguradoras, atuou como consultora em startups e agora a frente da área de Pessoas na Flix Seguros, startup 100% digital com foco em seguros e assistências residenciais.é Head de Pessoas e Cultura na Flix

Quer uma dica?

A segunda turma do curso de Insurtech e Inovação em Seguros em 8 aulas vai começar no dia 16 de agosto. Saiba mais clicando aqui ou acessando https://cursos.insurtechbrasil.com

ARTIGOS SIMILARES

Advertisment

POPULARES