Superintendente da Susep compartilha experiências e insights durante o Insurtech Brasil 2022

Encontro reuniu mais de mil integrantes do ecossistema de seguros, na Zona Sul da Capital paulista

A quinta edição do Insurtech Brasil, evento promovido pelo Conexão Fintech, reuniu mais de mil integrantes do ecossistema de insurtechs, seguradoras, startups e demais agentes que integram a indústria brasileira de seguros. O encontro foi realizado no Amcham Business Center, na Zona Sul da Capital paulista, e contou com a presença do superintendente da Superintendência de Seguros Privados (Susep), Alexandre Camillo, que destacou a importância dos reencontros e da troca de experiência entre os agentes do mercado.

Camillo, que acaba de completar 42 anos de experiência em diversas frentes no setor de seguros, demonstrou sua visão sobre a jornada e o comportamento do consumidor, além do que se pode esperar daqui para frente. O superintendente enfatizou a presença do diretor José Nagano, responsável pela diretoria técnica 3 – que tem sob sua competência o Open Insurance. “Trago aqui informações que podem servir para a tomada de decisões e insights para todos os agentes que integram o ecossistema de seguros”, mencionou.

Trajetória do superintendente

Alexandre Camillo compartilhou com os presentes no Insurtech Brasil 2022 um pouco de sua trajetória e experiência na área de seguros. Apresentando-se como entusiasta da inovação com a preservação da imagem institucional da indústria seguradora – “sem chance para colocar o consumidor na posição de cobaia” – o superintendente iniciou sua jornada em uma indústria seguradora, onde atuou por onze anos. Depois disso, abriu sua própria corretora de seguros – que conta com mais de 30 anos de operação -, e nesse meio tempo acabou enveredando para a política setorial. “Estive à frente de algumas entidades, como o Sindicato dos Corretores de Seguros de São Paulo (Sincor SP), por praticamente oito anos. Meu aprendizado foi diverso, tive oportunidades de ter visões diferentes – como corretor – segurador – como liderança setorial ou como político para entender cada vez mais a sociedade e as pessoas”, lembrou.

O superintendente da Susep aproveitou a ocasião para agradecer pelas oportunidades de aprendizado que teve e continua a ter ao longo de sua trajetória. “Posso retribuir isso para todos compartilhando isso com vocês. Estar à frente da Susep foi uma decisão difícil, quase um sacrifício pessoal, mas estar à frente da Susep me oportunizou justamente retribuir ao mercado de seguros tudo que ele me ofereceu”, complementou. 

Números do setor de seguros

De acordo com os números apresentados pelo órgão de supervisão do setor de seguros – a Susep – as receitas desta indústria ultrapassaram R$ 108 bilhões no acumulado de 2022. O crescimento no comparativo entre abril de 2022 com o mesmo mês do ano passado é de 20,3%. “A Susep está desenvolvendo um sistema que disponibilizará os números de forma mais ágil e fácil – o Painel Susep. Tenham certeza que não vou deixar de demandar todos os esforços para o sucesso nesse desafio de tornar a sociedade mais segura e farei tudo que estiver ao meu alcance para a gente fomentar o desenvolvimento do mercado”, anunciou Camillo. “Vejam que os números comprovam a pujança e o vigor do nosso mercado. Ter conhecimento dos números para todos é mais do que necessário”, acrescentou ao projetar um crescimento superior a 6% no consolidado final deste ano.

Por ramos de seguro, Camillo enfatizou os crescimentos referentes ao primeiro quadrimestre de 2022 – de 65,5%, no Seguro Cyber; de 35,7%, no Seguro Rural; e de 25,9%, no Seguro de Automóvel. Vida também obteve excelente desempenho, com crescimento de 17% nos primeiros quatro meses do ano. 

Ele comparou os números com o resultado consolidado no ano de 2021, quando o Seguro Cyber cresceu 173,7%, enquanto o Seguro Rural registrou alta de 41%, o Responsabilidade Civil (RC) obteve expansão de 35,8%; e o Seguro de Transportes de 23,5%. 

Os números demonstraram-se ainda mais estáveis quando comparados com 2020 – no auge da pandemia de coronavírus. Naquele ano, o Seguro Cyber cresceu 130%; o Seguro Rural expandiu-se em 35,3%, enquanto que o Responsabilidade Civil (RC) cresceu 25,2%; O segmento Vida obteve alta de 14%. Entretanto, Transporte e Auto caíram aproximadamente 4%.

“Isso demonstra o aumento da preocupação das pessoas com aquilo que há de mais importante e reforça que a humanidade nunca esteve tão exposta a riscos”, afirmou Alexandre Camillo.

Ações da Susep e Open Insurance

O chefe da autarquia, que abriu a programação do Insurtech Brasil 2022, aproveitou para citar a consolidação da simplificação regulatória – de modo a dar mais liberdade ao mercado, além dos avanços nas normas dos Seguros de Danos Massificados e Grandes Riscos, além da simplificação do Seguro Auto. “Temos de dar atenção às questões de cunho sistêmico do mercado para oferecer melhores soluções para nossa sociedade, como é o caso do Seguro DPVAT”, reforçou.

Ao anunciar a chegada de uma Circular referente ao tema ASG – Ambiental, Social e Governança, Camillo também falou sobre o avanço do Open Insurance, do Sandbox Regulatório, do Sistema de Registro de Operações (SRO) e a chegada da MP da Securitização – que promete, nas palavras dele, “revolucionar e ser um divisor de águas no setor”. “Demonstro minha admiração pela alta qualificação e comprometimento dos servidores da Susep. Desejamos uma adesão e compreensão total dessas ações para que elas sejam validadas pela sociedade – para que ela entenda que tudo isso trará produtos mais adequados para seu perfil e suas necessidades de proteção de riscos”, argumentou o superintendente. 

“Estamos tornando o Open Insurance mais prático. Nosso desafio é torná-lo uma realidade para a sociedade. Assim também é com o Sandbox e no SRO – o que nos trouxe uma visão de que tudo isso precisa de um grande ajuste, organização e gestão apropriada para que haja retorno aos nossos esforços e investimentos – o que só será possível se o consumidor perceber que essas ações visam melhoras para ele”, sublinhou Alexandre Camillo.

O superintendente da Susep ainda apresentou a estrutura básica do Open Insurance e citou os desafios de sua integração com o Open Banking – operado pelo Banco Central. “Tudo sempre deve acontecer com o consentimento do consumidor. As alterações nas fases e prazos do Open Insurance visam atender justamente a interoperabilidade entre os sistemas do setor de seguros e do Bacen”, justificou.

Sobre o Sandbox Regulatório, Alexandre Camillo apontou que todas as empresas que atuam nesta modalidade somam R$ 47 milhões em prêmios arrecadados, em um montante de 830 mil apólices emitidas e um ticket médio de R$ 57. “É momento de revisitar a atuação, rever o projeto, revisitar o apetite, investimentos e por isso que estamos aqui”, ponderou ao dizer que a Susep está preparada para a supervisão desse mundo digital. 

Distribuição do seguro

Alexandre Camillo, ao encerrar sua participação no Insurtech Brasil 2022, ratificou a importância dos profissionais da corretagem de seguros. “O corretor é peça fundamental para comercialização dos seguros no Brasil e são responsáveis pela maior parte da distribuição dos produtos no país. De acordo com o SRO temos 56% dos corretores (mais de 66 mil) Pessoa Física e 44% Pessoa Jurídica (mais de 55 mil)”, declarou ao estimar crescimento de quase 20% no número de novos corretores em 2022 – o que deve representar um total de 6 mil novos profissionais no mercado.

Camillo manifestou ao público presente que o corretor de seguros é quem entende as necessidades do consumidor e representa o elo de ligação entre o segurado e as companhias seguradoras. “Este profissional tem de cumprir esse papel e temos de compreender seu papel na distribuição dos produtos e soluções”, finalizou.

Insurtech Brasil 2022

Os organizadores do Insurtech Brasil 2022 agradeceram a presença do superintendente da Susep e a satisfação em poder realizar novamente o encontro. “Conseguimos conhecer várias pessoas que só falávamos por vídeo”, demonstrou José Prado ao elogiar Alexandre Camillo. “Ele olha para esse lado da inovação há muito tempo”, completou. Já Juliana Gregorini Montez, fundadora da Pluvon, expressou a alegria em ver o evento chegar em sua quinta edição. “Tivemos bastante cautela para poder realizar o evento novamente. Estamos muito felizes em ter vocês aqui, com a casa cheia”, encerrou.

A 5ª edição do Insurtech Brasil contou com o apoio da Sensedia, Innoveo, D1 – Zenvia, Planetun, Suthub, Autovist, Guy Carpenter, fitinsur, Carbigdata, Coover, Guidewire, Onze, Souza Melo Torres, Hannover Re, MAG, BNP Paribas Cardif e Bluecyber.

Quer uma dica?

A segunda turma do curso de Insurtech e Inovação em Seguros em 8 aulas vai começar no dia 16 de agosto. Saiba mais clicando aqui ou acessando https://cursos.insurtechbrasil.com

ARTIGOS SIMILARES

Advertisment

POPULARES