Home Blog Page 38

Peppercorn lança assistente de atendimento com Inteligência Artificial

A Peppercorn lançou um assistente de conversação orientado por Inteligência Artificial para ajudar a melhorar a experiência de compra de seguros para seus clientes.

A empresa, fundada por Nigel Lombard, focará inicialmente no seguro automóvel com planos de expansão para outras linhas de produtos no futuro. A assistente por IA elimina a necessidade de o cliente preencher formulários manuais e ficar em espera para ser atendido por um agente.

A tecnologia elimina a necessidade de um call center físico e – juntamente com a tecnologia anti-fraude da empresa e os processos de decisão pré-contratação – colabora para que a Peppercorn reduza suas despesas e custos operacionais.

A insurtech, que levantou £ 1,8 milhões (R$ 11.5 milhões) num investimento inicial em abril do ano passado, emprega uma equipe de engenheiros totalmente remotos, desenvolvedores, cientistas de dados e especialistas em experiência do cliente que estão sediados em todo o Reino Unido.

Nigel Lombard, CEO e fundador da Peppercorn, disse que o modelo tradicional de seguro está quebrado. “Os altos custos operacionais e práticas comerciais ultrapassadas, como o preenchimento de formulários manuais e deixar os clientes em espera no telefone, resultam em uma experiência frustrante para o usuário, onde o cliente acaba pagando muito mais do que deveria pelo seguro. Estamos aqui para mudar isso.”

A startup de seguros acaba de ser lançada na Confused.com. Lombard explica que a equipe da Peppercorn tem uma mistura dinâmica de seguro e especialização tecnológica e tem trabalhado duro para construir uma experiência e serviço únicos. Lançar um produto de qualidade em um site líder na comparação de preços em tão curto espaço de tempo é uma prova do compromisso da equipe com a transformação da indústria de seguros.

“Este é um marco significativo para nós e estamos apenas começando. Nossa empresa está empenhada em aperfeiçoar e desenvolver a plataforma da Peppercorn, capacitando nossos clientes e melhorando sua experiência, uma conversa de cada vez”. Numa época em que poupar dinheiro está no topo da cabeça de todos, a Peppercorn mostrará como a tecnologia inteligente pode resultar em preços mais justos para os consumidores. E a resposta que já estamos recebendo de nossos clientes sugere que eles também concordam.”

Insurtech iLife Technologies recebe aporte de $17 milhões

A insurtech de seguros de vida iLife Technologies acaba de levantar US$ 17 milhões (R$ 88,7 milhões) em uma rodada de investimentos Série A. A rodada incluiu como investidores a Foundation Capital, Brewer Lane Ventures e a SCOR Ventures. Fundada em 2019, até o momento a empresa já arrecadou US$ 21 milhões (R$ 109,6 milhões).

A iLife Technologies é uma plataforma de software que oferece aos agentes e corretores de seguros a capacidade de criar agências de seguros digitais.

Quando contrata o SaaS da iLife, o corretor ou agente tem à disposição uma plataforma de cotação de planos para oferecer aos clientes. Assim, o próprio cliente pode comparar planos e encontrar as melhores apólices, e então contar com seu corretor para revisar a opção e ajudá-lo a fazer a melhor escolha.

O iLife já recrutou mais de 11.000 agentes, que pagam uma taxa mensal pelo acesso à sua plataforma SaaS, e está se expandindo para vendas empresariais para “grandes agências e transportadoras de seguros”.

Com informações de Coverager, Fintech Global e Los Angeles Business Journal

Neon estreia cobertura de seguros para bens e dinheiro

A fintech Neon lançou uma nova oferta de seguros em parceria com o BNP Paribas Cardif. O novo produto tem duas modalidades: proteção de itens pessoais e de transações financeiras, com custo a partir de R$ 4,90 por mês.

A cobertura de bens cobre itens pessoais como laptops, telefones, carteiras, relógios e outros itens contra roubo ou furto qualificado.

Já a cobertura em dinheiro reembolsa os segurados se virem transações não autorizadas após o roubo de seu celular, ou se tiveram que fazer transações financeiras, como saques, pix ou compras, sob ameaça.

A apólice mais básica custa R$ 4,90 por mês e oferece uma indenização de R$ 1.500 para bens pessoais e R$ 5.000 para as transações financeiras. Já o plano de R$ 8,90 por mês indeniza até R$ 3.000 em itens pessoais e R$ 5.000 para as transações financeiras.

neon estreia produto de seguros
Área de seguros do aplicativo da Neon

O seguro para bens pessoais vale quando o segurado está em posse dos itens no momento do roubo ou furto qualificado. A carência para essa modalidade é de 30 dias. Enquanto para o caso de transações feitas sob ameaça, não há carência, porém é necessário avisar em até 4 dias depois da ocorrência.

No caso de roubo após saque também não há carência, mas a proteção é válida para até 12 horas após o ocorrido.

Além disso, a fintech também oferece aos segurados um sorteio mensal no qual concorrem a R$ 10.000.

Jean Sigrist, presidente do conselho de administração da Neon, disse que “oferecer seguros acessíveis, simples e justos possibilitará que nossos clientes consigam proteger seu futuro, cuidar de suas famílias e enfrentar situações difíceis do dia a dia.” Segundo ele, isso passa por entender as necessidades do cliente, eliminar barreiras de atendimento do produto e garantir um suporte eficiente a qualquer momento.

Um unicórnio financeiro no mundo das insurtechs

No ano passado, a fintech se tornou um unicórnio, após receber um investimento de R$ 1,6 bilhão (U$ 300 milhões) em uma rodada de série D realizada pelo banco espanhol BBVA. O banco investidor passou a ter 29,7% de participação na Neon.

Segundo a Neon, em 2022, a fintech contava com 15 milhões de clientes, 88% nas classes C, D e E. O novo produto de seguros vem como uma forma de atender a essa parcela da população com preços mais acessíveis e informações mais claras para o segurado.

Fundada em 2016, a Neon nasceu com propósito claro: oferecer uma conta acessível a qualquer brasileiro, colocando sua experiência em primeiro lugar. “Os grandes bancos do país têm um retorno gigantesco sobre o capital porque cobram muito caro. Na Neon, não transferimos para o cliente o custo da ineficiência”, diz Pedro Conrade, fundador da fintech.

Com informações do Valor, Coverager, Infomoney e Conexão Fintech