Com investimento da Too Seguros, do BTG, Hero Seguros lança plataforma digital 

Baseada no formato de MGA – Managing General Agent (popular nos Estados Unidos e recém regulamentado no Brasil), startup alia alta capacidade de precificar, distribuir e regular seus seguros por meio de soluções digitais proprietárias

Negócio é voltado ao segmento B2B2C e tem foco inicial em seguro viagem

Não é seguradora e nem corretora de seguros. Calcada no modelo MGA – da sigla em inglês para Managing General Agent, a Hero Seguros apresenta ao mercado o melhor dos mundos quando o assunto é insurtech (tecnologia aplicada ao setor de seguros). A startup acaba de lançar sua plataforma digital, customizável e de fácil integração, alimentada pela expertise de um time multidisciplinar (fundadores com background em mercado digital e mercado segurador). A proposta dos fundadores Guilherme Wroclawski e Raphael Swierczynski é quebrar antigos paradigmas do mercado de seguros, como produtos comoditizados e processos extremamente lentos.

A Too Seguros, do grupo BTG Pactual e conhecida por sua expertise no setor, de olho no desenvolvimento do mercado e atenta ao nicho de clientes que buscam uma solução de seguro mais democrática, fechou um acordo com a startup que vai além de um robusto investimento no caixa da empresa, ele também dá a Hero a autonomia para cuidar de toda a jornada dos produtos de seguro, desde a criação das coberturas de risco, passando por soluções de distribuição como APIs, White Labels e ferramentas de Back Offices, chegando até a regulação e atendimento dos sinistros.

“O seguro de viagem no mercado ainda carece de soluções mais ágeis e o produto que construímos é uma ótima oportunidade por ser muito personalizável – o cliente escolhe quais coberturas e assistências quer ter. Por aqui, temos capacidade para acelerar negócios que nos contem uma boa história e que possam gerar parcerias de longo prazo e, principalmente, sinergias relevantes para o negócio”, diz Pedro Bueno da Rocha Lima, CEO da Too Seguros.

A startup tem foco inicial em seguro viagem – segmento em que a dupla de fundadores atuou em conjunto quando eram líderes da Ciclic, startup da BB Seguros, braço de seguros do Banco do Brasil. “Sentimos as dores de ser um canal de venda de seguros no Brasil, tais como a falta de customização de produto, a falta de capacidade de integração e a falta de agilidade no atendimento aos sinistros. Decidimos lançar a Hero para sanar essas dores dos canais de venda. O mercado de seguro viagem é a nossa primeira aposta”, diz Wroclawski.

Além da expertise, os fundadores enxergam com bons olhos adentrar o segmento de turismo no momento que deve se concretizar como o início do pós-pandemia. “A pandemia reforçou a importância de se viajar protegido, trazendo maior sensibilidade ao seguro viagem por parte dos consumidores. Além disso, muitos destinos se tornaram mais rígidos com a obrigatoriedade de apresentar um seguro na chegada ao país. Nosso papel agora é fazer com que esses consumidores encontrem as melhores soluções de seguro viagem, por meio da customização para nossos canais de venda parceiros”, afirma Swierczynski.

O negócio inicia a operação com mais de uma dezena de contratos já assinados com canais de distribuição. Entre eles, operadoras de saúde e grandes agências de turismo, além de parceiros mais digitais como Argo Solutions e Wooba (online booking tools, ferramentas utilizadas pelas grandes empresas para reservar viagens de colaboradores).

“Já temos parceiros vendendo nossos seguros de viagem por meio de nossas APIs, de White labels ou usando nossas ferramentas de Back Office para realizarem vendas offline. Nossos produtos e nossas integrações são tailor made de acordo com cada canal de venda”, complementa Wroclawski.

O Modelo MGA

Comum no mercado americano, o modelo MGA foi regulamentado pela Superintendência de Seguros Privados (Susep) em novembro de 2021 com a denominação de “representante de seguros”. De acordo com o próprio órgão, responsável pelo controle e fiscalização dos mercados de seguro, previdência privada aberta, capitalização e resseguro no Brasil, “trabalhar com um MGA pode fornecer expertise em linhas de negócios específicas, acesso a múltiplos mercados e canais de distribuição e um processo mais eficiente na obtenção de coberturas específicas”.

História dos sócios e origem da empresa

Publicitário e empreendedor serial, Guilherme Wroclawski fundou em 2010 a SaveMe – agregador de cupons – que, em pouco tempo, foi comprada pelo Buscapé de Romero Rodrigues. Desde então, Wroclawski fez investimentos-anjo e ajudou no lançamento de diversas startups, com destaque para o Repassa, onde foi o primeiro investidor do brechó online recentemente comprado pela varejista Renner, a Hubs, solução de contabilidade focada nas grandes plataformas online como iFood, GetNinjas e Mercado Pago, e a startup de mobilidade urbana Mobicity.

Com 28 anos de carreira no mercado de seguros, o administrador Raphael Swierczynski atuou em grandes seguradoras e foi CEO da operação brasileira da seguradora QBE por quatro anos. Em janeiro de 2018, lançou a Ciclic no mercado de seguros, uma corporate venture entre BB Seguros e a Principal Financial Group. Os sócios se conheceram nessa época, quando Swierczynski acabou convidando Wroclawski para trabalhar na startup de seguros do BB.

O insight para criar a Hero Seguros veio justamente nesse período. Pode-se dizer que a Hero nasceu de dificuldades reais que eles enfrentaram enquanto atuavam como um canal de distribuição de seguros. “Mesmo sendo um canal de distribuição super relevante, tivemos dificuldade em fazer negócio com as seguradoras porque elas são muito engessadas. É por ter tido essa vivência que estamos trabalhando para quebrar os paradigmas do setor”, conclui Swierczynski.

Quer uma dica?

A segunda turma do curso de Insurtech e Inovação em Seguros em 8 aulas vai começar no dia 16 de agosto. Saiba mais clicando aqui ou acessando https://cursos.insurtechbrasil.com

ARTIGOS SIMILARES

Advertisment

POPULARES